REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

 

 

 

A Região Metropolitana de São Paulo, RMSP, é a maior região metropolitana do Brasil
É composta por 39 municípios.

 

Na tabela abaixo estão listados os municípios que fazem parte da RMSP , suas populações e domicílios em 2001 e suas classificações frente ao IDH, Índice de Desenvolvimento Humano. 

  Municipio População Domicilios IDH ranking
o-alfa   base 2001 base 2001 base 2001
1 Arujá 59185 15184 0,788 257
2 Barueri 208281 55383 0,826 44
3 Biritiba Mirim 24653 6371 0,75 534
4 Caieiras 71221 19039 0,813 95
5 Cajamar 50761 13714 0,786 276
6 Carapicuiba 344596 90840 0,793 218
7 Cotia 148987 38371 0,825 47
8 Diadema 357064 98172 0,79 245
9 Embú 207663 52940 0,772 384
10 Embú-Guaçu 56916 14367 0,812 100
11 Ferraz de Vasconcelos 142377 36608 0,772 379
12 Francisco Morato 133738 34024 0,738 586
13 Franco da Rocha 108122 26226 0,778 332
14 Guararema 21904 5900 0,798 181
15 Guarulhos 1072717 289833 0,797 191
16 Itapecerica da Serra 129685 33694 0,784 288
17 Itapevi 162433 41743 0,759 481
18 Itaquaquetuba 272942 68806 0,744 563
19 Jandira 91807 24424 0,801 165
20 Juquitiba 26459 6750 0,754 519
21 Mairiporã 60111 16121 0,803 151
22 Mauá 363392 98969 0,781 308
23 Mogi das Cruzes 330241 89020 0,801 166
24 Osasco 652593 181000 0,818 73
25 Pirapora do Bom Jesus 12395 3250 0,767 421
26 Poá 95801 24959 0,806 133
27 Ribeirão Pires 104508 28241 0,807 130
28 Rio Grande da Serra 37091 9722 0,764 439
29 Salesópolis 14357 3938 0,748 544
30 Santa Isabel 43740 11786 0,766 423
31 Santana de Parnaiba 74828 18598 0,853 7
32 Santo André 649331 185370 0,836 23
33 São Bernardo 703177 197847 0,834 28
34 São Caetano 140159 43393 0,919 1
35 São Lourenço da Serra 12199 3109 0,771 386
36 São Paulo 10435546 2984416 0,841 18
37 Suzano 228690 59619 0,775 362
38 Taboão da Serra 209215 52359 0,809 119
39 Vargem Grande 32683 8464 0,802 158

De acordo com o Censo de 2000, a Região Metropolitana e São Paulo, contava, no ano 2000, com quase 18 milhões de pessoas, ou seja, 48% da população do Estado de São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Um dos grandes problemas da RMSP é a questão de sua gestão. Ainda não foi formatado nenhum modelo de gestão que pudesse atender a todos os interesses da região. Uma das dificuldades para isso é que a região é extremamente desequilibrada em termos da força política dos municípios que a compõe. O desequilíbrio populacional demonstra isso de forma clara, como se pode ver no gráfico abaixo:


Outro ponto extremamente importante a ser equacionado na RMSP é a questão da água. Cada vez mais a água se torna um bem de valor inestimável para a vida e no caso da região metropolitana de São Paulo a água nem sempre foi considerada um bem estratégico a ser protegido. Basta ver a intensa ocupação urbana realizada nas chamadas "Áreas de Proteção aos Mananciais". O manancial foi protegido do que? Que tipo de proteção  foi proposta? Infelizmente o poder público estadual e municipais e a sociedade civil quase nada fizeram para evitar a degradação intensa que ameaça a todos os habitantes da metrópole. Veja abaixo uma imagem da ocupação urbana nas áreas protegidas das represas.

 

Caixa de texto: Billings

 

Como podemos verificar na imagem acima, a expansão urbana na RMSP não teve
 o ordenamento necessário para a preservação ambiental dos mananciais.

Na figura abaixo vemos, em um trabalho da Emplasa, a expansão urbana da região, Note a
 expansão ocorrida nas áreas mais centrais entre 1930 e 1940, e o enorme movimento da urbanização
 em direção às periferias, ocorrido  entre 1950 e 1960 e a continuidade do movimento de
transformação de uso que ocorre até hoje nos municípios mais afastados.

voltar